Dados da segurança pública apontam redução de crimes em Campo Grande e interior do Estado

Campo Grande (MS) – Dados apresentados nesta quinta-feira (20) pelo secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Sílvio Maluf, aos dirigentes das instituições que compõem a pasta, mostram que Campo Grande e Mato Grosso do Sul estão mais seguros. A reunião realizada no auditório da Acadepol, em Campo Grande, com comandantes e delegados integra o Programa de Redução da Criminalidade do Governo do Estado.

São números do Banco de Dados Único da Sejusp, acompanhados diariamente por uma equipe especializada e que norteiam  as ações e operações das polícias em todos os 79 municípios do Estado, através da análise criteriosa dos crimes que mais impactam a sociedade que são aqueles cometidos contra a vida e o patrimônio. Também é feito um diagnóstico das atividades policiais. Todas as avaliações são do período que compreende 1º de janeiro a 31 de julho de 2015, em comparação ao mesmo período do ano passado.

Os dados mostram que os crimes com resultado morte tiveram uma redução de -17,5% em Mato Grosso do Sul, passando de 577 em 2014, para 476 em 2015, em Campo Grande a queda foi de -32,6%, com registros de 144 crimes em 2014 e 97 este ano. No caso específico dos homicídios dolosos houve queda de -22,2% em Campo Grande, com 81 mortes em 2014 e 63 em 2015. Na análise global incluindo também os municípios do interior a redução foi de -6,4%.

O secretário de Segurança avalia o resultado como muito positivo, principalmente porque do total de homicídios registrados em Campo Grande, 73% são esclarecidos, no Estado o percentual de elucidação é de 69,7%, recorde em nível do Brasil, já que nas outras unidades da federação os esclarecimentos são em torno de 30%, e maior que dos Estados Unidos onde as mortes desvendadas são pouco maior que 68%. “Essa é uma avaliação macro que mostra que avançamos muito, mas é preciso que tenhamos foco e diretrizes”, destacou Sílvio Maluf.

Outro crime que apresentou redução muito expressiva foram os homicídios culposos no trânsito. Entre janeiro e julho de 2014 foram registradas 53 mortes e este ano 30 vítimas fatais dos acidentes ocorridos em Campo Grande, uma queda de -43,4%. Em Campo Grande a redução foi de -33,1%, com 242 mortes em 2014 e 162 mortes em 2015.

A segurança pública comemora ainda as reduções nos roubos seguidos de morte em Mato Grosso do Sul, com -66,7% de ocorrências e Lesão Corporal Seguida de Morte (-33,3%). “Eu tenho orgulho da polícia com a qual eu trabalho”, elogiou o secretário Sílvio Maluf durante a apresentação dos dados.

Crimes contra o patrimônio

Dos crimes contra o patrimônio foi registrada queda de -8,3% nos roubos registrados no interior do Estado. Caíram também os roubos de veículos. Em 2014 foram 590 ocorrências em Mato Grosso do Sul e este ano 522, o que representa uma redução de -11,5%. Em Campo Grande a queda foi ainda maior, -15,2%, com 328 roubos registrados em 2014, contra 278 contabilizados de janeiro a julho deste ano.

O Delegado-Geral da Polícia Civil, Roberval Maurício Cardoso Rodrigues afirma que a Polícia Civil baliza todas as suas atividades a partir dos dados divulgados hoje, que são acompanhados diariamente e analisados em reuniões rotineiras com os diretores dos departamentos, titulares da unidade e mensalmente com uma reunião entre todas as forças da segurança pública. “São resultados muito satisfatórios, como por exemplo a resolutividade de crimes, que é a melhor do país. Com as informações centralizadas, nós temos o mesmo foco e eficácia nas ações”, afirma o Delegado-Geral.

Também caíram os roubos a residências nos municípios do interior do Estado (-1,9%),  à comércios (-10,6%) e os roubos em via pública (-7,8%). “São resultados do compromisso feito entre o governador do Estado, o secretário de Segurança Pública e os gestores das instituições de segurança pública, no sentido de fazer uma ação forte de combate aos crimes, não apenas no combate aos grandes ilícitos como o tráfico de drogas, mas também daqueles crimes contra o patrimônio, que acabam gerando uma sensação de insegurança na comunidade. Nesse sentido realizamos a distribuição dos quantitativos humanos nas áreas mais críticas e concentramos ações e saturação na capital, que contribuíram para os bons resultados”, explica o Comandante-Geral da Polícia Militar, coronel Deusdete Souza Oliveira Filho.

O secretário Sílvio Maluf diz que em alguns crimes contra o patrimônio os números ainda estão altos, mas que estão em andamento ações policiais e políticas públicas para reduzir os índices criminais. “São crimes resultantes por exemplo do uso de drogas, que as pessoas cometem para sustentar o vício, como o roubo e o furto, então já estamos trabalhando nessa causa, com ações pontuais de combate ao tráfico e fechamento de pontos de vendas de drogas”, finaliza o secretário.

(FONTE:SEJUSP-MS)